Viajar para os EUA foi a melhor experiência que já tive

Viajar para o exterior foi a melhor experiência que já tive até hoje. Ampliar sua visão de mundo influencia em todos os aspectos da sua vida.

Eu escolhi viajar para os Estados Unidos, que é o país da tecnologia, da modernidade, porque eu acho que tem tudo a ver com a minha personalidade.

Acredito que a melhor opção para quem quer conhecer e vivenciar a cultura do país é o visto de trabalho. Para conseguir esse visto, eu utilizei os serviços de uma empresa de intercâmbio cultural, World Study, que teve uma papel fundamental não só na obtenção do visto em si, mas do emprego no exterior. Claro que nesse caso você acaba pagando mais, porém, suas chances de conseguir o visto e o trabalho também são maiores. Além disso, você acaba tendo a opção de viajar em grupo, o que facilita muito…

A parte mais difícil para conseguir o visto é a entrevista no consulado, em São Paulo, pois é sempre lotado de gente. Demora pra marcar a entrevista e quando você está lá, você fica horas e horas nas filas (tem fila pra entrar no consulado, fila pra tirar foto e as digitais, fila pra entrevista em si e fila pra pagar as taxas.

O primeiro lugar onde morei nos EUA, foi em Reno, Nevada, que é basicamente uma mini Las Vegas. Lugar incrível, onde o clima dos casinos contagia todo mundo! Eu trabalhei como recepcionista e caixa em um restaurante dentro de um grande casino dessa cidade. A melhor parte desse emprego é que eu tinha muito contato com as pessoas e podia, portanto, não só treinar bastante o inglês, mas também aprender sobre as pessoas e a cultura do país. A primeira diferença cultural que eu notei foi a educação que as pessoas têm umas com as outras (alguns exemplos seriam: segurar a porta para outro passar, mesmo que esse não esteja tão perto, parar o carro no meio de uma rua movimentada para um pedestre atravessar, oferecer aquele dólar que faltou para completar a conta de outro no supermercado).

Depois de dois meses, fui morar na costa Leste, que é completamente diferente da Oeste. Aliás, eu diria que cada Estado dos EUA, parece um país diferente, pois o clima, a presença ou não de praias, montanhas, …, o fuso horário e principalmente as leis do Estado acabam influenciando fortemente no estilo de vida das pessoas.

Em ambos os lugares eu consegui me adaptar muito facilmente, com exceção da comida. Como todo mundo sabe, ter uma alimentação saudável nos Estados Unidos é um grande desafio e acaba saindo caro. Mas é melhor pagar em dólar do que pagar com sua saúde, não é?

Outro desafio, para quem não é fluente no idioma falado no país, é conseguir lidar com a frustação de, algumas ou muitas vezes, não conseguir se expressar ou não ser bem compreendido. O mais importante é não ter vergonha de falar, mesmo meio errado, e usar e abusar de mimicas.

Os desafios, os imprevistos e todos os outros pequenos problemas que eu tive que enfrentar foram, porém, o que mais enriqueceu minha experiência no exterior.

As minhas dicas para quem quer viajar para o exterior seriam:

  • Seja flexível e paciente: é normal odiar seu trabalho ou curso nos primeiros dias, mas se você souber aproveitar, vai acabar amando.
  • Faça muitas amizades, tanto com outros brasileiros, quanto com moradores do país: amigos são fundamental quando você está longe da família e enfrentando desafios novos todos os dias.
  • Mas, mais importante ainda é ter alguém para compartilhar os bons momentos e as alegrias dessa experiência.
  • Nos EUA, e acredito que nos países da Europa, as leis realmente são respeitadas, portanto, não tente usar aquele jeitinho brasileiro, principalmente se estiver dirigindo.
  • No mais, conheça o maior número de lugares que puder, tire muitas fotos e enjoy yourself!

Domitila Bonato

email

Por: ManoelEm: 21.09.2008 | Em Trabalhar  | Tags: EUA, Trabalho 
Curta no Facebook:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *