Trabalhando nos EUA: Um país sério com leis que funcionam

O Ricardo escreveu para nós sobre sua experiência nos EUA.

Ele foi para os Estados Unidos a trabalho. Viveu lá por mais de um ano e parece que a sua experiência foi positiva, apesar das dificuldades…

Ele passou por Boston, Kansas, Dallas e St. Louis trabalhando como Engenheiro de Plataformas para Celulares. A própria empresa para qual ele trabalhava fez os arranjos, e o fato de ele possuir passaportes o ajudaram bastante a conseguir visto no consulado — possivelmente em São Paulo — sem complicações.

Sua maior dificuldade foi causada pela solidão, fato que parece recorrente em muitos imigrantes, mesmo nos temporários como o caso dele. Muitas vezes até casais que migram não conseguem ficar longe por muito tempo por sentirem falta de seus parentes e familiares. Muitos dizem que não há país melhor para se viver que o Brasil, mas aposto com você que todas as nações falam o mesmo sobre seus próprios países. Eu estou convencido que são as pessoas a nossa volta que fazem um lugar, tão ingrato como o Brasil, agradável para se viver.

Ele descreveu que o que mais o agradou em toda a experiência foi ter conhecido a cultura do país, o método de trabalho e como a sociedade funciona. Manifestou também muito interessante ter observado uma nação tão desenvolvida e com problemas tão reais como os do Brasil, sem perder mérito por isso.

O Ricardo manifestou que recomenda a experiência para outras pessoas e vai além, falando que sair do Brasil para experimentar outra realidade é fundamental. Dessa maneira é possível compreender que existem países com leis que efetivamente funcionam.

Se ele tivesse que escolher outro lugar para viver que não fosse o Brasil, com certeza viveria nos EUA, pois é um país sério que além de funcionar bem as pessoas têm direitos reais, segundo ele.

“Não recomendo a ninguém ir a esmo, sem eira nem beira, além de ser muito difícil conseguir o visto sem lastro algum no Brasil, pode se complicar lá caso consiga. Os EUA estão mudando a lei de imigração para crime, ou seja, os próprios policiais nas ruas dos EUA podem “PRENDER” um sujeito que não esteja em condições legais por lá.”, disse Ricardo.

Ele disse também que é importante o viajante preparar-se para a entrevista da Imigração dos EUA, pois já viu casos de pessoas mandadas voltar para o Brasil porque o entrevistador não sentiu confiança nas palavras do deportado. Ocorreram casos similares em Madri este ano.

Ele lembra que para ir para os EUA há necessidade de conseguir visto prévio no Consulado na cidade de São Paulo.

Agradecemos ao Ricardo pelo seu tempo e dedicação em nos relatar um pouco do que viveu.

email

Por: ManoelEm: 21.09.2008 | Em Trabalhar  | Tags: EUA, Testemunho, Trabalho 
Curta no Facebook:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *