Os países desenvolvidos geralmente têm baixa taxa de desemprego e muitas oportunidades de trabalho ligadas ao seu desenvolvimento econômico. Eles estimulam pessoas para imigrar oficialmente para suas nações desde que o seu perfil se encaixe em suas necessidades…


Por exemplo: nações de primeiro mundo possuem grande desenvolvimento tecnológico, portanto quem trabalha nessa área tem, geralmente, mais chances de conseguir mudar-se oficialmente.

Comumente eles dão preferência para os casos:

  • Pessoas entre 18 e 29 anos pensando naqueles que irão contribuir com a sociedade local pelo maior tempo possível.
  • Eles também procuram pessoas com habilidades nas quais há carência de mão de obra.
  • Experiência e qualificações comprovadas em traduções juramentadas são desejáveis em alguns casos.
  • Falar o idioma do país.
  • Casas que se aplicam juntos para imigrar geralmente têm vantagens com relação aos solteiros. Seus escores se somam na hora ao invés de serem avaliados isoladamente.

Geralmente este processo tem um custo que fica entre algumas centenas ou milhares de reais, dependendo da complexidade do processo. Você mesmo pode aplicar-se pessoalmente ou pode contrata uma agência que faça isso por você. É claro que neste caso fica mais caro, porque você estaria pagando especialistas para fazerem o trabalho, porém as chances de sucesso aumentariam significativamente.

Estudar no exterior

Há várias muitas maneiras diferentes de viajar para o exterior a estudo. E todas são legais, quer dizer, ninguém precisa se arriscar ser deportado (ou deportada) simplesmente porque quer estudar em certo país…

A causa é que qualquer país estimula ser visitado por estudantes, porque isso é vantagem em muitos aspectos. O país ganha mais visibilidade, ganha divisas com o custo dos cursos e subsistência do estudante, variedade cultural…

O visto

O visto de estudante normalmente é o mais simples para ser expedido pelas embaixadas. Em alguns casos, como na Inglaterra, não há necessidade de visto prévio para entrar no país: apenas apresentar documentos que comprovem que você está ali para estudar, juntamente com o seu passaporte, já basta. O ideal, na maioria dos casos, é matricular-se em um curso previamente via internet, como um curso de idiomas, intercâmbio cultural, ou especialização, por exemplo. Também seria interessante contratar anteriormente algum tipo de estadia. Toda essa documentação tem um grande peso na hora de entrar no país.

Quem vai para estudo tem até mais credibilidade e mais chances de entrar no país, em teoria, do que quem vai apenas para turismo, justamente porque é mais fácil comprovar documentalmente o motivo de sua estada ali.

email